Hackathon desafia estudantes a buscarem soluções inovadoras para banco de leite do Norte de Minas

Maratona tecnológica estimula a criação de projetos que facilitem os processos do Hospital Aroldo Tourinho em Montes Claros. Vencedores receberão mentorias e cursos oferecidos pelo Sebrae Minas

O Núcleo de Inovação do Centro de Práticas em Engenharia, Arquitetura e Gestão (Cepeage) da UNIFIPMoc e o Sebrae Minas, com apoio da Fundação de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e Inovação do Norte de Minas (Fundetec), promovem, em Montes Claros, o Hackathon – Banco de Leite Humano do Hospital Aroldo Tourinho.

Seis equipes, formadas por estudantes e acadêmicos das áreas de tecnologia, saúde e ciências humanas, estão desenvolvendo soluções inovadoras que facilitem a automação dos processos de gestão do banco de leite humano do hospital da cidade.

“Além de contribuir para a melhoria da gestão do banco de leite, queremos sensibilizar estudantes e a comunidade para a importância do desenvolvimento de projetos sociais que envolvam instituições sem fins lucrativos e contribuam para a região”, destaca o coordenador do Núcleo de Inovação da Cepeage, Helder Lopes Oliveira.

Durante visita ao hospital, realizada na última sexta-feira (18), as equipes conheceram os funcionários do setor e todo o processo de tratamento do leite. Amanhã (24), as equipes gravarão vídeos dos pitches dos projetos. Na sexta-feira (25), durante um demoday, serão apresentados os vídeos para uma banca que vai escolher os melhores projetos.

A solução vencedora será apresentada ao hospital. O Sebrae Minas, como parceiro da iniciativa, vai oferecer mentorias on-line sobre gestão financeira e marketing às três primeiras colocadas, além do curso Bootcamp. “O Sebrae Minas, como integrante do ecossistema local de inovação, cumpre seu papel de apoiar iniciativas que tragam soluções inovadoras para a região”, ressalta o analista Walmath Magalhães.

Sobre o Banco de Leite
O Banco de Leite do Hospital Aroldo Tourinho foi criado há 28 anos. O hospital é responsável pela coleta da produção láctea, seleção, classificação, processamento, controle de qualidade e distribuição do leite humano, que é oferecido aos recém-nascidos que não têm acesso ao alimento. O leite é destinado, prioritariamente, a bebês que estão nas unidades de tratamento intensivo neonatal de Montes Claros, Pirapora e Diamantina.

Texto: Cida Santana

Comentários

Mais do Educadora FM