SES-MG avalia com Montes Claros o uso de vacinas da Pfizer contra a Covid-19

A Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros – (SRS) deve sediar nesta quinta-feira, 20, a partir das 9 horas, encontro de coordenadores de vigilância em saúde e referências técnicas em imunização, com o objetivo de avaliar a possibilidade da descentralização da distribuição de vacinas da Pfizer/BioNtech para o município de Montes Claros. Caso haja avaliação positiva, o município passará a ter uma terceira vacina contra a Covid-19 disponibilizada para a imunização da população.

A iniciativa da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais – (SES-MG) envolve, ao todo, 47 municípios de todas as regiões do Estado com população igual ou superior a 79 mil habitantes. Nesse contexto, com população estimada em 409 mil habitantes, Montes Claros é a única cidade do Norte de Minas que poderá ser contemplada com a descentralização da distribuição de vacinas da Pfizer/Biontech. A previsão é de que a primeira remessa seja repassada pela SES-MG na próxima segunda-feira, 24 de maio.

Em novo acordo anunciado dia 14 de maio, o Ministério da Saúde informou estar garantido um total de 200 milhões de doses de vacinas da Pfizer/BioNtec até o fim deste ano. Em março, a pasta já havia adquirido 100 milhões de doses desse imunizante. A vacina começou a ser entregue em abril e, até o momento, está sendo utilizada nas capitais dos estados.

A coordenadora de vigilância em saúde da SRS de Montes Claros, Agna Soares da Silva Menezes explica que a decisão da SES-MG de descentralizar a distribuição da vacina da Pfizer/BioNtech leva em conta além do critério de municípios que possuem maior população, também o tempo de transporte dos imunizantes até essas localidades.

“As vacinas devem ser conservadas a temperaturas entre menos 80 graus a menos de 60 graus centígrados. Ao serem armazenadas a temperatura entre 2 e 8 graus centígrados as vacinas devem ser aplicadas na população num prazo de cinco dias. Desta forma, como os municípios maiores possuem maior quantidade de pessoas que integram os grupos prioritários de vacinação contra a Covid, a utilização das vacinas da Pfizer se torna viável pelo pouco espaço de tempo que podem ficar armazenadas em temperatura mais alta”, frisa a coordenadora.

A capacitação será realizada por meio de videoconferência com a participação de coordenadores de vigilância epidemiológica e de saúde, referências técnicas de imunização da SES-MG, além de coordenadores de imunização e de atenção primária à saúde do município de Montes Claros. Com base nas informações recebidas durante o treinamento, o município decidirá se tem condições de receber ou não as vacinas da Pfizer.

A superintendente regional de saúde de Montes Claros, Dhyeime Thauanne Pereira Marques ressalta que a introdução de uma terceira oferta de vacinas contra a Covid-19, possibilitará à maior cidade do Norte de Minas a aceleração da vacinação da população. Até o momento, a região ampliada de saúde do Norte de Minas, constituída por 86 municípios, recebeu 665 mil 066 doses de vacinas CoronaVac e da AstraZeneca/Universidade de Oxford produzidas pelo Instituto Butantan, em São Paulo, e pela Fundação Oswaldo Cruz – (Fiocruz), no Rio de Janeiro, respectivamente.

A VACINA

A vacina da Pfizer/BioNTech é baseada no RNA mensageiro, ou mRNA, que ajuda o organismo a gerar a imunidade contra o coronavírus. A ideia é que o mRNA sintético dê as instruções ao organismo para a produção de proteínas encontradas na superfície do vírus. Uma vez produzidas no organismo, essas proteínas estimulam a resposta do sistema imune resultando, assim, potencialmente em proteção para o indivíduo que recebeu a vacina.

Os resultados dos estudos de fase três, envolvendo mais de 44 mil voluntários e já publicados em revista científica, mostraram que globalmente a eficácia da vacina contra a Covid foi de 95%, com esquema de duas doses, num intervalo de 21 dias entre elas.

Por: Pedro Ricardo

Comentários

Mais do Educadora FM