Sebrae Minas lança programa Cidade Empreendedora para promover o desenvolvimento econômico dos municípios

Levantamento do Sebrae Minas mostra que 45% dos donos de pequenos negócios do estado estão desanimados com medidas das prefeituras para o enfrentamento da pandemia

Os donos de pequenos negócios em Minas Gerais não estão indiferentes às ações do poder público municipal de enfrentamento aos impactos da pandemia. É o que mostra o levantamento feito pelo Sebrae Minas com 798 empresários entre fevereiro e março deste ano. Para 45% dos entrevistados, as iniciativas da prefeitura reduziam a confiança em relação ao futuro de suas atividades. Somente 25% disseram que as ações eram positivas e melhoravam a confiança nos negócios. A maioria dos empreendedores (70%) avaliaram que há pouca ou nenhuma coerência nas medidas adotadas pelo poder público local. 

Para apoiar os municípios no seu desenvolvimento econômico e também no enfrentamento dos impactos da pandemia, o Sebrae Minas lança o programa Cidade Empreendedora. A iniciativa inclui mais de 100 soluções, organizadas em 10 eixos de atuação e voltadas para direcionar, acelerar e sustentar o processo de desenvolvimento socioeconômico local. A adesão ao programa é feita por meio de contrato com duração de curto, médio ou longo prazos, dependendo das intervenções selecionadas.

Cada município escolhe as soluções de acordo com suas necessidades, particularidades e vocações. O Sebrae oferece todo o acompanhamento técnico na seleção e implementação dos trabalhos. “O desenvolvimento econômico já faz parte do escopo de trabalho do Sebrae, que atua em diversas frentes, sempre em parceria com os gestores públicos e lideranças locais, para fortalecer a cultura empreendedora e criar um ambiente favorável à expansão e ao fortalecimento dos pequenos negócios”, explica Afonso Maria Rocha, superintendente do Sebrae Minas.

Políticas públicas e empreendedorismo

O Cidade Empreendedora facilita a transformação econômica dos municípios por meio da implantação de um conjunto de ações estratégicas vinculadas à abordagem de Desenvolvimento Econômico Local (DEL) do Sebrae Minas. As ações têm como foco a melhoria do ambiente de negócios, criação e fortalecimento de políticas públicas, o fomento ao empreendedorismo e a promoção da competitividade empresarial.

O programa é direcionado a prefeitos, secretários municipais e demais gestores públicos, entidades empresariais, cooperativas, instituições financeiras, institutos de ciência e tecnologia, consórcios públicos, associações microrregionais, professores, empresários e lideranças locais.

Os interessados em conhecer e aderir ao programa podem procurar uma das 58 Agências de Atendimento do Sebrae em todo o estado. Mais informações pelo 0800 570 0800.

Município pioneiro

A previsão do Sebrae Minas é de que o programa Cidade Empreendedora seja implementado em mais de 20% do estado em 2021. Vários municípios, consórcios públicos e associações microrregionais já manifestaram interesse ou já formalizaram a parceria.

Tupaciguara, localizada na região do Triângulo Mineiro, foi o primeiro município mineiro que aderiu ao Cidade Empreendedora. A parceria com o Sebrae foi formalizada no dia 2 de março, data em que também foi inaugurada a Sala Mineira do Empreendedor no município.

Os 10 eixos do programa Cidade Empreendedora

  1. Gestão Municipal

Promove o engajamento, a qualificação e a capacitação dos gestores públicos, para trabalharem a agenda do desenvolvimento econômico do município, de acordo com as características e a dinâmica de cada território, visando a geração de emprego, renda, qualidade de vida e arrecadação. Esse eixo também atua com a abordagem de consórcios públicos, que viabilizam investimentos, iniciativas e a prestação de serviços com economia de escala, contribuindo com o desenvolvimento dos territórios.

  1. Lideranças Locais

Identifica, mobiliza e capacita as lideranças dos municípios, para trabalharem de forma integrada no planejamento das políticas de desenvolvimento, articulando iniciativas em prol da competitividade e sustentabilidade dos pequenos negócios.

  1. Desburocratização

Proporciona agilidade no processo de abertura de empresas, emissão de alvarás, geração de empregos e oportunidades aos seus cidadãos. Oferece ferramentas e soluções para que o município atue em consonância com a Lei da Liberdade Econômica e a Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização das Empresas e Negócios (Redesim).

  1. Sala do Empreendedor

Oferece a prestação de serviços aos empresários já estabelecidos ou potenciais, que vão desde a orientação básica até a tramitação de documentos e processos relativos ao funcionamento regular das empresas. Pode reunir, em um único local, o atendimento que compete a diferentes órgãos do governo, agentes financeiros ou associações empresariais.

  1. Compras Governamentais

Estimula a participação dos pequenos negócios nas compras públicas municipais, proporcionando economicidade, fixação de renda local, geração de emprego e desenvolvimento econômico. 

  1. Empreendedorismo na Escola

Promove o empreendedorismo nas escolas, por meio da implementação de projetos de educação empreendedora, incentivando a capacitação dos educadores e gestores escolares e o protagonismo e a cidadania dos estudantes.

  1. Inclusão Produtiva

Estimula ações de inclusão produtiva econômica de populações em situação de vulnerabilidade social, gerando oportunidades de trabalho, renda e qualificação para aqueles que mais precisam.

  1. Marketing Territorial e Setores Econômicos

Inclui estratégias e soluções para o desenvolvimento do potencial de cada segmento econômico do território, como turismo, agricultura, indústria, comércio e serviços bem como as estratégias de posicionamento do território em âmbito regional, nacional e até mesmo internacional.

  1. Cooperativismo e Crédito

Estimula o cooperativismo, o associativismo e o acesso ao crédito para gerar desenvolvimento econômico, novos empregos, renda e arrecadação para o município.

  1. Inovação e Sustentabilidade

Fomenta e acelera o desenvolvimento econômico por meio de ações de inovação, sustentabilidade e acesso aos serviços tecnológicos, promovendo a conexão com os atores que atuam no ecossistema e a sinergia nas cadeias de valor do território.

Texto: Cida Santana

Comentários

Mais do Educadora FM