SES-MG disponibiliza mais 4,3 mil medicamentos de kit intubação para hospitais do Norte de Minas

A Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais – (SES-MG) disponibilizou nessa quarta-feira (21), para nove hospitais sediados no Norte de Minas nova remessa de 4 mil 310 medicamentos que fazem parte do kit intubação, utilizado para tratamento de pessoas acometidas pela Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. As instituições têm a opção de receber os medicamentos diretamente no almoxarifado da SES-MG, em Belo Horizonte, ou via Correios.

Os medicamentos são utilizados nas Unidades de Terapia Intensiva – (UTIs) e o quantitativo disponibilizado toma como base dados fornecidos semanalmente pelos hospitais à Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros. Isso possibilita à SES-MG fazer o monitoramento das necessidades de apoio às instituições que não tem conseguido receber, com regularidade, medicamentos comercializados por empresas privadas.

Entre os medicamentos disponibilizados às instituições de saúde estão Cisatracúrio, Besilato 10mg; Midazolan e Propofol. Em Montes Claros, com a nova remessa estão sendo contemplados o Hospital Universitário Clemente de Faria (300 unidades); a Fundação Dílson de Quadros Godinho (550 unidades); o Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro (mil unidades) e o Prontosocor (190 unidades).

As demais instituições que estão recebendo medicamentos do kit intubação são: Hospital Regional de Janaúba (100 unidades); Santa Casa e Hospital São Vicente de Paulo, de Porteirinha (205 unidades); Fundação Hospitalar Dr. Moisés Magalhães Freire, de Pirapora (1.515 unidades); Hospital Municipal Dr. Oswaldo Prediliano Santana, de Salinas (430 unidades) e o Hospital Municipal Dr. Gil Alves, de Bocaiúva (20 unidades).

A superintendente regional de saúde de Montes Claros, Dhyeime Thauanne Pereira Marques destaca que a união de esforços entre as instituições hospitalares e a Secretaria de Estado da Saúde tem possibilitado a manutenção dos atendimentos de pacientes acometidos pela Covid-19, mesmo diante da escassez de medicamentos do kit intubação.

“Por parte da SES-MG não tem faltado esforço no sentido de manter entendimentos com o Ministério da Saúde para que a remessa de medicamentos seja feita com regularidade, sobretudo nesse momento em que os hospitais enfrentam dificuldades para efetivar as compras diretamente nas empresas privadas com as quais já tinham contrato”.

Comentários

Mais do Educadora FM