Empreendedores estão confiantes na venda de ovos de Páscoa artesanais

A pandemia dificulta as vendas dos pequenos empreendedores que produzem ovos de Páscoa artesanais. Eles, entretanto, não desanimam e recorrem à criatividade em busca de bons resultados, assim como fizeram em 2020, logo após a chegada do coronavírus ao Brasil.

Com o preço dos ovos convencionais mais altos e o receio das pessoas de irem aos supermercados, os pequenos fabricantes apostam na proximidade com a clientela e na qualidade dos seus produtos para impulsionar as vendas. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab) mostram que no ano passado a produção foi 15% menor que em 2019. A expectativa para a Páscoa 2021 é que a queda seja ainda maior do que em anos anteriores à pandemia, mas 2020 deverá ser superado em volume.

Divulgação e vendas on-line

Ana Claudia Souza Mendes, confeiteira em Montes Claros, aposta na divulgação nas redes sociais para atingir boas vendas. “Confesso que tive um pouco de receio de comprar as matérias-primas, mas como já tenho uma clientela fixa que acredita na qualidade dos meus produtos, investi e já tenho vários pedidos”, afirma.

“Enquanto a Páscoa se aproxima, vou incrementando minhas redes sociais. Acredito que mesmo com a pandemia as pessoas vão comprar, pois mais do que nunca teremos uma Páscoa em família”, completa a microempreendedora, proprietária da Ana Mendes Handmade, que conta com a consultoria do projeto Sebrae na Sua Empresa.

Apesar da pandemia, Ana Claudia conta que tem recebido bastante pedidos

Dona da confeitaria artesanal Doçuras da Dani,  no bairro Antônio Pimenta, Júlia Daniele Oliveira trabalha ao longo do ano na fabricação de bolos e doces. Mas, no atual período, a dedicação é quase exclusiva à produção de ovos de Páscoa.

Ela admite que a procura este ano está menor, mas mesmo assim mantém a confiança no “doce sabor” dos lucros. “Apesar do momento difícil que estamos vivendo, estou com uma boa demanda. Acredito que os pais vão querer agradar as crianças, já que elas estão privadas de tantas coisas, e não vão deixar de presenteá-las em uma data tão especial. Temos várias opções de tamanhos, sabores, recheios, além de preços acessíveis a todos os bolsos. Vamos trabalhar e confiar”, diz Júlia.

A confeiteira conta que, em tempos de isolamento social, tem apostado na divulgação por meio da página que mantém no Instagram e também do contato direto pelo WhatsApp.

Cativar o cliente

Para a assistente técnica do Sebrae Minas Beatriz Nascimento, as confeiteiras adotam estratégias corretas. Ela reforça que investir nas vendas on-line é a saída para enfrentar o momento. “Durante os atendimentos, sempre reforço para os empreendedores que, mesmo em um período tão desafiador, eles não devem desistir. Com a pandemia é preciso se reinventar, ser criativo e utilizar cada vez mais as redes sociais para divulgar e estreitar relacionamento, além de captar novos clientes”, observa.

Texto: Cida Santana

Comentários

Mais do Educadora FM

Montes Claros perde Mestre Zanza

Aos 88 anos de idade, morreu João Pimenta dos Santos, popularmente conhecido como Mestre Zanza, nessa segunda-feira (25). Ele que foi um dos líderes nas

Ler Mais