Em reunião convocada pela AMAMS, prefeitos decidem adotar medidas mais rígidas para conter o avanço do coronavírus, no norte de Minas

Nesta segunda-feira, os municípios do Norte de Minas aprovaram a proposta de implantar medidas mais restritivas para impedir o aumento dos casos de covid-19 na região.

Em reunião convocada pela Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (AMANS), os prefeito(a)s de cada cidade norte-mineira decidiram seguir como modelo, o decreto municipal de Montes Claros que restringe a circulação de pessoas e veículos, bem como o funcionamento de atividades econômicas entre as 22h30 e 5h00.

Mas, de acordo com a AMAMS, a depender da realidade de cada município cabe ao prefeito alinhar e deliberar, quais medidas são necessárias para conter efetivamente a disseminação da covid-19 na cidade.

Além dos prefeitos de cada município da região norte e da área da SUDENE, Estiveram presentes, a superintendente regional de Saúde, Dhyeime Thauanne Pereira Marques; o presidente regional do Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems), Edvaldo Farias e a secretária municipal de Saúde de Montes Claros, Dulce Pimenta.

Em um ano de pandemia, o norte de Minas, atualmente, contabiliza 45.948 casos confirmados de covid-19 e 752 mortes, em 79 municípios.

Nos últimos quatro meses, o número de casos da doença subiu significativamente, segundo a superintendente regional de Saúde, Dhyeime Thauanne Pereira Marques, “uma das justificativas poderia ser as festas de final de ano, as férias e o carnaval, quando muitas pessoas saíram do Norte de Minas para aproveitarem as datas.” Ela lembra que há duas semanas os casos cresceram e os leitos hospitalares ficaram insuficientes. Porém se queixa dos dados conflitantes de Covid na região, pois o escritório montado na Superintendência de Saúde observou essa situação.

De acordo com o “Vacinômetro”, ferramenta criada pela secretária estadual de saúde, que contabiliza o número de pessoas vacinadas, mostra que 39.744 pessoas foram imunizadas com a primeira dose da vacina e 17.048 pessoas receberam a segunda dose do imunizante contra a covid-19, no norte de Minas.

O presidente da AMAMS, José Nilson Bispo de Sá, prefeito de Padre Carvalho, explicou que desde quando surgiu à doença, as prefeituras adotaram várias medidas para conter a contaminação e a doença. Ele lembra que a região já enfrentou a onda vermelha e agora chegou à situação provocada pela saturação dos leitos hospitalares e por isso, tem que delimitar as medidas, para depois encaminhar ao Estado e ao Ministério da Saúde. Os prefeitos que estavam presentes na sessão, como Célio Santana, de Buenópolis e 1º vice-presidente da AMAMS, aprovaram a proposta de definir regras mais rigorosas.

Ainda em discussão durante a reunião, o prefeito Caio Cunha, de São João do Pacui, propôs que os municípios da região se unissem em um consórcio e comprassem as vacinas a serem aplicadas aos moradores.

Alinhamento

O prefeito de Montes Claros, Humberto Souto, reforçou a importância do Norte de Minas alinhar uma ação conjunta para enfrentar a doença e alertou para o risco do colapso na rede hospitalar. Ele lembrou que a sociedade espera muito dos prefeitos para uma solução. A secretária municipal de Saúde de Montes Claros, Dulce Pimenta alertou que os leitos de UTI para Covid em Montes Claros estão ficando saturado e alertou ainda que mais de 50% dos pacientes internados em hospitais de Montes Claros são de pessoas com menos de 60 anos e sem comorbidades e muitos deles de 30 a 40 anos.

O presidente regional do COSEMS, Edvaldo Farias, de Berizal, salientou a importância de união em torno desse assunto. Ronaldo Campelo, do COSEMS de Pirapora, salientou que os municípios daquela área já assinaram documento de medidas restritivas. O prefeito Célio Santana, de Buenópolis, informou que levará essa idéia do Norte de Minas para a região Central de Minas. O prefeito Diego Fagundes Braga, de Grão Mogol anunciou a imediata adesão. O prefeito Roberto Jairo Torres, de Bocaiúva, salientou que os municípios da microrregião de saúde também aprovaram a adoção de medidas restritivas e que os 10 leitos Covid do Hospital de Bocaiúva estão lotados.

            A prefeita Vânia Carneiro, de Bonito de Minas, propôs um decreto unificado de todo Norte de Minas. O prefeito Caio Cunha, de São João do Pacui, sugeriu a compra unificada de vacinas e garantiu a adesão da microrregião. O prefeito Wandi Hercules, de Lagoa dos Patos, reforçou a importância da união de todos os municípios. O prefeito Luciano Rabelo, de Mirabela, anunciou as medidas restritivas e aguarda apenas a aprovação do Decreto Municipal. O prefeito João Carlos, de Berizal, garantiu a adesão nesse projeto. A AMAMS elaborou ata para ser assinada pelos municípios.

Comentários

Mais do Educadora FM