Polícia Civil apreende veículos e dinheiro durante a Operação Hefesto, em Taiobeiras

A Polícia Civil de Minas Gerais deflagrou nesta terça-feira (20), no município de Taiobeiras no norte do Estado a Operação Policial Hefesto para inibir o crime de receptação na região. O nome faz referência ao deus grego dos metais, metalurgia e fogo. Na mitologia grega, sua figura estava associada a um grande forjador e joalheiro. Na mitologia romana, ele é chamado de Vulcano.

A Polícia em Taiobeiras iniciou as investigações há cerca de dois meses onde foi constatado que os dois alvos principais da operação, estavam ligados a uma rede de receptação de peças de carros e desmanche de veículos oriundos de crimes patrimoniais. Um dos alvos também é proprietário de loja de lanternagem de carros e possui de terreno na zona rural da cidade de Taiobeiras, cujo imóvel era usado para esconder os componentes automotivos. Tais informações proporcionaram aos policiais civis a escolha do nome da operação policial.

Durante a Operação foi efetivada a apreensão de 2 veículos automotores, 1 motocicleta, diversos componentes automotivos com valor aproximado de R$ 15.000,00 (quinze mil reais), vários cheques no valor aproximado de R$ 107.000,00 (cento e sete mil reais) e cerca de R$ 10.000,00 (dez mil reais) em espécie.

A operação contou com policiais civis das Delegacias de Polícia de Taiobeiras, Salinas e Rio Pardo de Minas inclusive com a aplicação de Drone para monitoramento aéreo durante a ação policial.

De acordo com o Delegado Gildeilson Almeida, com essa operação a Polícia Civil de Minas Gerais reafirma através de suas ações seu compromisso com a população mineira na certeza de que sem investigação policial não há justiça.

“Não houve prisão durante o cumprimento dos Mandados, o objetivo principal foi unir provas contra os investigados para a  conclusão do Inquérito Policial instaurado em desfavor deles. Os suspeitos vão responder pelos crimes praticados, a Operação foi primordial para provar a participação deles nos delitos investigados” afirmou o Delegado.

Comentários

Mais do Educadora FM