Especialistas debatem a cadeia do pequi e frutos do Cerrado na web

 

O tema “desafios e oportunidades para o desenvolvimento da cadeia do pequi e outros frutos do Cerrado no Norte de Minas Gerais” esteve em debate nesta quinta-feira (20/8), em encontro virtual organizado pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB). Com participação da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), o evento discutiu desafios e oportunidades para o desenvolvimento da cadeia no Norte de Minas

A secretária de Agricultura, Ana Maria Valentin, destacou a riqueza do pequi e de outros frutos deste bioma que ocupa um longo território de Minas Gerais. “Nós temos ocorrência do pequi em praticamente dois terços do nosso estado. Trata-se de uma cultura de muita importância, com extrativistas muitas vezes organizados em cooperativas. Temos também a castanha de baru, que é deliciosa e tem muitas propriedades nutricionais; e o buriti, fruto utilizado para fazer um doce maravilhoso. Temos um grande potencial no nosso Cerrado e precisamos trabalhar mais com toda essa diversidade”, salientou.

O subsecretário de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural Sustentável da Seapa e presidente do Conselho Pró-Pequi, Ricardo Demicheli, lembrou que Minas Gerais sempre teve uma atenção muito especial com as riquezas do Cerrado.

“O Norte de Minas foi muito castigado pela exploração, principalmente dos carvoeiros, e os pequizeiros correram muito risco. Mas, com o passar do tempo, houve muita regeneração e, hoje, mais de 40% da região possui cobertura vegetal que se enquadra no bioma Cerrado com transição para a Caatinga, onde estão presentes pequizeiros e demais frutos do Cerrado”, destacou.

Demicheli disse ainda que estudo da Emater-MG, em 2019, indicou uma estimativa de mais de 3 milhões de plantas produtivas, com mais de 203 mil toneladas produzidas por mais de 15 mil famílias extrativistas. “Sem falar em toda a cadeia que o pequi movimenta: transportadores, vendedores, feirantes. Na época da safra, Montes Claros fica em um tom amarelo, de tanto pequi que a gente vê em cada esquina”, destacou o subsecretário.

 

Apelo

A secretária Ana Valentini pediu apoio do SFB em estudos conduzidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), que tentam identificar e combater uma praga que tem aumentado a mortandade dos pequizeiros em Minas. “Nossas instituições ainda estão começando as pesquisas nessa área, para entender o que está acontecendo. Muitos pequizeiros estão morrendo e isso está trazendo uma angústia muito grande para a população no Norte de Minas”, pontuou.

O diretor geral do órgão federal Valdir Colatto sinalizou com a possibilidade de os pesquisadores do SFB fazerem análises em seus laboratórios para auxiliar a Epamig nos estudos. “É um tema para o nosso laboratório ajudar na pesquisa do controle desse problema, para analisarmos e vermos se encontramos uma solução para essa moléstia”, garantiu.

O vídeo completo do encontro virtual está disponível no canal do SFB no YouTube. Acesse aqui.

__________________

Ascom: Governo de Minas// Foto: Divulgação

 

Comentários

Mais do Educadora FM