Sobe para 20 o número de casos confirmados de coronavírus em Montes Claros

Mais três casos de coronavírus foram confirmados,  pela  Prefeitura de Montes Claros , nesta segunda-feira (4). Trata-se de três pessoas de uma mesma família  que testaram positivo. Os pacientes são um homem de 46 anos e duas mulheres de 15 e 41. O município tem 20 casos confirmados.

De acordo com o  Setor de Epidemiologia, a família teve contato com um pessoa que testou positivo. Por isso, os três fizeram os exames na rede particular. Todos estão isolados em casa.

Um homem, de 57 anos, também  testou positivo para  a Covid-19, na cidade, nesta segunda-feira (4). Segundo a Prefeitura, o  paciente  teve quadro de tosse e foi encaminhado a para um hospital. Ele já teve alta médica e está em casa, sendo monitorado e investigado juntamente com a família. A prefeitura informou ainda que o homem fez exame na rede  particular, no  dia 30 de março.

Boletim

No sábado (3), uma mulher  de 44 anos, também testou positivo para Covid-19, em Montes Claros.  A paciente não apresentou sintomas da doença e fez o exame em um laboratório particular. Ela está em isolamento domiciliar e todos os familiares fizeram o teste, e aguardam o resultado.

Já na quinta-feira (30), a Prefeitura confirmou o 14º e o 15º casos de coronavírus. Um dos pacientes trata-se de um idoso, de 76 anos, que morreu no dia 29 de abril no CTI de um hospital da cidade. O outro caso é de uma mulher de 84 anos, que esteve em SP no dia 5 de abril. Ela apresentou os sintomas e realizou exame no dia 24 de abril com o resultado positivo para a Covid-19. A paciente está curada.

Segundo o último boletim do município, foram notificados até o início da manhã desta terça-feira (5),  2010 casos e 477 continuam sendo investigados. Oito pessoas estão curadas e três pacientes que morreram testaram positivo.

Cenário em Minas Gerais

O Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Carlos Eduardo Amaral, apresentou em coletiva virtual, nesta segunda-feira (4), o cenário epidemiológico da Covid-19 no estado e enfatizou a importância das medidas de isolamento para adiar o pico da doença e impedir o esgotamento dos sistemas de saúde no estado. “Percebemos uma tendência de diminuição do isolamento no estado. Minas conseguiu até o momento manter a curva de transmissão dentro do aceitável, graças a um trabalho coordenado do estado e a adesão da população. Por isso, é importante que os municípios que decidirem aderir ao programa Minas Consciente repassem para o estado sua intenção para que possamos coordenar conjuntamente as ações de forma a manter os bons resultados de saúde que alcançamos até o momento”, alertou Carlos Eduardo.

Analisando os dados do boletim epidemiológico do coronavírus, o secretário apontou que até o momento foram 2.347 casos confirmados, destes, 90 foram a óbitos. O estado tem hoje 86 óbitos em investigação e 466 óbitos descartados. Segundo o secretário, os dados permitem fazer uma avaliação consistente do cenário epidemiológico e sinalizam sobre o comportamento e a taxa de transmissão da doença.

“Mesmo não realizando exames em 100% dos casos notificados, a SES possui mecanismos de controle capazes de avaliar o real cenário da doença. Um destes mecanismos é o acompanhamento diário das notificações de casos. Cada pessoa notificada por síndrome gripal, mesmo sem diagnóstico laboratorial, permite aos técnicos inferir no que está acontecendo. As notificações são marcadores sensíveis do que acontece, isto porque, considerando que o percentual do diagnóstico laboratorial positivos está em torno de 13,5% naqueles grupos definidos para testagem, é plausível inferir que dentro do universo de casos notificados, o número de positivos seja semelhante”, explicou.

Casos

O secretário afirmou, ainda, que outro mecanismo que permitem avaliar o cenário da doença são as notificações de óbitos. “Uma vez que a notificação de qualquer óbito é compulsória, é possível compreender a evolução da doença. Hoje temos 90 óbitos confirmados e 86 em investigação, ou seja, mesmo se tivéssemos todos esses óbitos em investigação confirmados, não chegaríamos a 200. Isto demonstra o padrão de comportamento da Covid-19 no estado e sinaliza para onde estamos indo”, afirmou.

Interiorização

Conforme o secretário, era de se esperar uma interiorização da doença em Minas Gerais, uma vez que existe certo grau de circulação de pessoas dentro do estado. Por isso, Carlos Eduardo enfatiza as ações regionalizadas realizadas pela SES para evitar que o pico ocorra ao mesmo tempo em diversas cidades do estado. “Pensando nesta interiorização da doença, a SES criou os comitês regionalizados, que avaliam quais as melhores medidas a serem tomadas por região de saúde. O que gostaríamos é que o pico da doença acontecesse em tempos diferentes em cada região, facilitando os cuidados e a estruturação da saúde, e esta parece ser a tendência dentro do estado”, avaliou o secretário.

________________

Da redação / Foto: divulgação/ Agência Minas

 

 

Comentários

Mais do Educadora FM