ACI destaca redução de juros para operações de Capital de Giro e Investimentos para as empresas enfrentarem a crise da Covid-19

O Setor de Projetos da entidade atende MPE’s na captação de crédito emergencial
 

Para ajudar os empreendedores a enfrentar os impactos socioeconômicos causados pelo Coronavírus, os bancos de fomento BNB e BDMG lançam linhas de crédito emergenciais.
O BDMG ampliou prazos e condições das linhas de crédito BDMG Solidário Saúde e Empreendedoras de Minas, que atendem micro e pequenas empresas (MPE),  bem como a Linha BDMG Giro Mais Saúde para empresas que faturam entre 4,8 milhões à 30 milhões de reais.
As taxas – válidas para MPE de todos os ramos de atividade – foram reduzidas para a partir de 0,83% ao mês, bem abaixo do praticado pelo mercado. Como referência, a taxa inicial classicamente praticada pelo BDMG era 0,98% ao mês. O prazo de carência para começar a pagar dobra de 3 meses para 6 meses, com pagamento em até 48 meses.
Outra novidade é a ampliação até 30 de junho do Programa Empreendedoras de Minas, com taxas à partir de 0,8%  ao mês, carência de até 6 meses e prazo total até 48 meses.
“Para superar o déficit de caixa nesse período de crise, as empresas precisam de capital de giro suficiente para manter as despesas do negócio enquanto a economia não retoma seu curso”, explica Ivânia Araújo, coordenadora do Setor de Projetos da ACI. “O objetivo é ajudar para que todos os setores e municípios mineiros possam se fortalecer. É capital de giro ainda mais acessível, com prazos e juros iniciais unificados”.
O Banco do Nordeste também está ofertando condições imperdíveis para que as empresas atravessem este período da pandemia da Covid-19.
O BNB disponibiliza duas linhas de atuação:  Operacionalização de uma linha de crédito emergencial (FNE EMERGENCIAL), criada a partir da Resolução CMN 4798/20, com juros de 2,5% ao ano e a redução das taxas de juros para as operações de giro, que começam a partir de 0,35% ao mês.
Ivânia frisa que o FNE Emergencial tem como finalidade a recuperação ou a preservação das atividades produtivas dos empreendedores de municípios com situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecido pelo Governo Federal. E prevê operação de capital de giro e de investimento (este último referente a itens destinados ao enfrentamento do contexto de calamidade gerado pela disseminação da Covid-19); para pessoas jurídicas que realizem atividades produtivas no setor não rural, independentemente no setor de atividade”.
O Limite de financiamento é de até 200 mil para investimento e até 100 mil para capital de giro. O prazo para investimento é de até doze anos, de acordo com os itens a serem financiados e capacidade de pagamento, com carência máxima até 31/12/2020. Já o Capital de Giro o pagamento pode ser em até 24 meses, com carência máxima até 31/12/2020. Os Juros de 2,5% a.a. (investimento e giro).
Veja como acessar esses recursos pelos seguintes canais: (38) 99921-4684 e 2101-3308 na ACI.

______________________

Texto : Nágila Almeida / Foto : Solon Queiroz

Comentários

Mais do Educadora FM