CRDH Norte completa 1 ano de atuação no Norte de Minas

O Centro de Referência em Direitos Humanos – CRDH Norte, comemora seu primeiro ano de atuação, tendo como destaque o atendimento às denúncias de violações de direitos de grupos sociais da região, em especial, de grupos étnico raciais, movimentos sociais e coletivos organizados.

O Centro de Referência em Direitos Humanos – CRDH Norte completa seu primeiro ano de atuação no Norte de Minas, no dia 7 de janeiro. Durante esse um ano, o equipamento social realizou eventos, articulou parcerias, atendeu a demandas de violações de direitos humanos, ofereceu espaços de formação, sempre buscando manter o foco de sua atuação na promoção de direitos humanos.

O projeto inovou na política de direitos humanos na região, sendo o primeiro equipamento social com tamanha amplitude em relação ao serviço prestado e público atendido. Ao todo, foram 10.902 pessoas acolhidas indiretamente, 505 pessoas diretamente atendidas nos processos de formação e 41 demandas acolhidas, entre casos individuais e coletivos, as quais seguem sendo acompanhadas pelo serviço.

Executado pela Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais, organismo que faz parte da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) da Igreja Católica e atua junto às pessoas em situação de exclusão e vulnerabilidade social, o CRDH Norte conseguiu se tornar referência na proteção e defesa dos direitos humanos de um público bastante diversificado. A população em situação de rua, os catadores e catadoras de materiais recicláveis, mulheres em situação de violência, juventude, LGBTQIAP+, população carcerária e povos e comunidades tradicionais estão entre o público prioritário do CRDH Norte, que, em um ano de atuação, já levou atendimento a 23 municípios dos 86 que compõem sua área de abrangência no Norte de Minas Gerais.

Segundo Rodrigo Pires Vieira, secretário regional da Cáritas Minas, alcançar a totalidade de municípios da área de atuação vem sendo um desafio, dada a composição da equipe por apenas 8 profissionais para uma extensão territorial tão grande e complexa. “Apesar disso, a equipe vem desempenhando um importante papel e, após um ano de execução, já tem sido reconhecida pela sociedade norte mineira”, afirmou.

Com o objetivo de não se sobrepor aos serviços já prestados por outros equipamentos que compõem a rede de proteção social, a equipe do CRDH Norte desenvolveu uma metodologia de trabalho diferenciada. No que diz respeito ao atendimento prestado, o mesmo vem sendo realizado por equipe técnica multidisciplinar formada por assessoria jurídica e educadoras sociais com formação em Psicologia e Serviço Social. Os atendimentos são sempre realizados por mais de um profissional, o que permite contemplar as demandas de forma a atender as necessidades do indivíduo através de um diagnóstico feito a partir de olhares diversificados. As articulações com parceiros que atuam na rede de proteção permitiram trazer o grande diferencial de serviço do Centro de Referência: o atendimento a demandas de grupos sociais. Nesse sentido, o CRDH Norte vem fazendo o acompanhamento e monitoramento das demandas de grupos sociais diversificados, desde categorias étnico raciais, até movimentos sociais e coletivos organizados.

Segundo a coordenadora do CRDH Norte, Júlia Veloso, a continuidade dessa política na região é fundamental, dado o histórico de violação de direitos humanos que o Norte de Minas vivenciou ao longo de sua história. “Uma região fortemente marcada por conflitos ambientais, pelo coronelismo e pela desigualdade social precisa ter um equipamento como este para atender o cidadão nas suas individualidades e coletividades. Acredito que a metodologia de trabalho desenvolvida pela equipe do CRDH Norte vem atendendo bem às especificidades locais e isso nos tem sido mostrado pelos bons resultados que vimos colhendo”, celebrou Júlia.

Comentários

Mais do Educadora FM