Município apoia inserção do mel na merenda escolar

A Câmara de Montes Claros promoveu, nesta quinta-feira (12/9), audiência pública para discutir o projeto de lei n°89/2019 que trata sobre a inserção do mel de abelha na merenda escolar nas instituições de ensino do município. Atualmente existe uma projeto-piloto que oferece o mel para alunos do ensino fundamental.

O projeto, que é de iniciativa do Vereador Daniel Dias (PCdoB), está em tramitação na Casa e trata sobre a distribuição do mel na forma natural ou em complementos de receitas da merenda escolar. Fica a cargo de nutricionistas responsáveis pelo cardápio e do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) e elaborar a melhor forma de consumo para os alunos.

Antes de elaborar a proposta, o parlamentar discutiu com educadores, nutricionistas e produtores sobre a possibilidade de implantar o mel no lanche escolar. A Secretaria de Educação aceitou fazer um teste com alunos do ensino fundamental, com a compra de 1,5 mil quilos de mel.

“Nossa região tem a capacidade de oferecer um produto de qualidade através de diversas cooperativas e associações. O mel pode ser usado como alimento e também ajuda a preservar o bioma natural com o pólen produzido pelas abelhas”, enfatizou o parlamentar.

Representando a secretaria de Educação, Kelly Fonseca, afirmou que através do projeto-piloto foi perceptível que os alunos gostaram do produto na merenda. A preocupação da secretaria é encontrar outra forma para servir aos alunos com idade menor, pois, segundo ela, as crianças têm o costume de mastigar o sachê, o que pode levar ao engasgamento.

“O mel tem uma alta carga energética e nutricional o que é muito bom para crianças em fase de crescimento. Conseguimos fazer até papinhas com o produto para crianças que têm dificuldade de mastigar. Já estamos tentando viabilizar mais mel para o próximo ano junto com os produtores da agricultura familiar”, pontuou Kelly.

De acordo com Cooperativa de Apicultores e Agricultores Familiares do Norte de Minas (Coopemapi), que tem a sede em Bocaiúva, outros 22 municípios fazem parte da cooperativa, com aproximadamente 300 associados.

Felipe Couto que desenvolve trabalho em relação ao desenvolvimento econômico, bem como potencialidades comerciais em Montes Claros, destaca que o mercado local tem potencialidade para vender mel em larga escala, assim valoriza a região e promove emprego e renda para região – diversos produtos podem ser desenvolvidos através do mel.

O analista da Codevasf, Alex Demiyer, ressaltou que o projeto incentiva os apicultores, assim o dinheiro com as vendas ficará no município, contribuindo com a geração de empregos.
O professor da UFMG, Fausto Makishi, mostrou os benefícios da abelha para o cultivo de outros alimentos e que o inseto é de extrema importância para o ecossistema.

A nutricionista, Vanessa Souza, alertou que apesar de o mel ter benefícios medicinais ele é um produto alimentício e por isso, fica a cargo do município determinar a quantidade oferecida aos alunos.
“Não precisa dar o mel puro, existem várias receitas que podem ser feitas através do produto, como pães e bolos”, afirma a nutricionista.

Ascom: Câmara Municipal

Comentários

Mais do Educadora FM